sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Só... com você.

Então seca minhas lágrimas, me coloca nos seus braços, se devolva à mim! Tira de dentro a saudade que agride, a tristeza que me oferece o cigarro que não cabe mais.
Volta a dizer as suas implicâncias. Volta a falar. Ressucita. Não me deixe aqui tentando te encontrar. Morrendo.
Me leva com você, me busca aqui, no fim do que parecia vida. Me mata pra que eu possa saber como é estar com você.
Não me deixe assim...
Não me deixe aqui!
A morte foi minha. O fim foi meu. Não existe mais nada. Só me pára a dor porque eu não posso mais.
Não me deixe aqui sozinha, mãe.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Sua

Se a vida pudesse ser tão linear quanto são os nossos sonhos... se o tempo nos fizesse ser tão capazes de estabelecer as prioridades... se valer de alguma coisa o que mora dentro de mim posso respirar feliz e te criar o mundo. Você é a razão de todas as coisas. Eternamente meu. Eternamente sua.